Subscribe to web2feel.com
Subscribe to web2feel.com

Coluna nova no Automobilismo em Debate

Postado por Thiago Raposo quinta-feira, 17 de julho de 2008


Campinas (23/04/2008) - Está no ar, no site automobilismo em debate, minha coluna semanal. Está semana atrasei um dia, devido à visita de minha mãe no feriado, que acabou me ocupando o tempo todo.
Nesta coluna trato da importância para os pilotos garantirem o maior número de pontos nesta segunda janela que se inicia agora, com a chegada a Europa até a volta do Canadá.
Para ler, clique aqui, ou leia abaixo!
Espero que gostem e que comentem!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Assim como várias categorias, que possuem as "janelas de pitstop", na Fórmula 1 existe a "janela do campeonato". Na A1GP, por exemplo, o piloto tem entre a volta X e a volta Y para fazer uma parada obrigatória no box. Na Fórmula 1, os pilotos "têm" da primeira corrida da fase européia até o retorno do Canadá (sétima etapa) para se firmar como um candidato ao título. A não ser que eles terminem esta "janela" muito iguais, as equipes tenderão a escolher quem deverá lutar pelo título.
Neste período teremos Barcelona, Turquia, Mônaco e Canadá. Pegando como exemplo a equipe Ferrari, Barcelona e Turquia seriam tidas como pistas de Felipe, enquanto Mônaco e Canadá são pistas pró-Raikkonën. Será muito importante para ambos que garantam suas duas pistas e que se superem nas outras duas em que não têm tanta facilidade, pois estes pontos farão a diferença no momento da escolha.
Caso cada um ganhe as "suas" e chegue em segundo na pista do outro, a diferença se manterá em 9 pontos pró-Raikkonën, o que no meu ponto de vista, ainda não seriam suficientes para uma decisão da Ferrari. Mas o que poderia acontecer se um dos dois perder pontos preciosos numa das quatro corridas e chegar à França com uma diferença em torno de 20 pontos e, pior, com um oponente colado nele? Neste caso, não tenho dúvidas de que um piloto terá que fazer papel de escudeiro do outro pelo resto do ano.
Para a torcida brasileira é preciso torcer para que Felipe, que nunca se deu bem em Mônaco e nunca andou bem no Canadá depois de chegar à Ferrari, se supere e busque sei lá onde forças para terminar bem estas duas etapas, e é claro, faça o dever de casa em Barcelona e na Turquia para não figurar novamente como o escudeiro.

Calendário

Videoteca

Twitter


Postagens populares

Newsletters