Subscribe to web2feel.com
Subscribe to web2feel.com

30 anos de Piquet campeão: ninguém respeita as regras

Postado por Thiago Raposo terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Seguindo neste novo especial em parceria com o Faster F1, vamos dar uma olhada geral de como estava a Fórmula 1 em 1981 e como foi aquele campeonato que deu a Nelson Piquet o primeiro título mundial, que completa em 2011, 30 anos.


Depois da briga intensa entre FISA (Federation International of Sports Automotive) e a FOCA (Fórmula One Constructors Association) em 1980, ele entraram num período de trégua, depois de uma assembleia na prova de abertura do ano em Long Beach, Estados Unidos, em Março de 1981.

Mas foi considerada a temporada dos carros ridículos. Isto porque a FISA revolveu decretar algumas medidas extremamente polêmicas, dentre elas uma que obrigava os carros a ficarem no mínimo 6 centímetros do solo. Obviamente os engenheiros se viraram para contornar tal regra, já que quanto mais alto, mais lento é o carro.



Gordon Murray, um dos maiores gênios da história da categoria e engenheiro da Brabham, projetou um sistema bastante inteligente, que em repouso deixava o carro nos 6 cm obrigatórios, mas que em alta velocidade grudava o mesmo no chão, ganhando assim um tempo impressionante, usando uma a suspensão hidropneumática. Mas essa não foi a única inovação que Murray trouxe para a F1 na época: foi durante a parceria com Piquet que vimos pela primeira vez o reabastecimento nos pit stops, os aquecedores de pneus, sistema de checagem de dados onboard, cronometragem onboard, freios de carbono…

Outros engenheiros, não tão brilhantes assim, tentaram dar seus pulos e aí foi um festival de coisas grosseiras, como por exemplo um carro em que o piloto abaixava e levantava o carro através de uma chave dentro do cookpit. No fim, o cenário era que nenhum carro estava dentro da regra e no fundo todos sabiam disto, mas ninguém fazia nada.


Apesar de tudo isto, foi uma temporada super disputada, com Nelson Piquet assumindo a liderança na última prova, em Las Vegas, e levando o título por apenas um pontos de diferença para o argentino Carlos Reutemann. Foi uma campanha ficou marcada pelo oportunismo do final e pela queda de Reutemann, que depois de marcar 43 pontos nas 9 primeiras provas, fez apenas 6 nas 6 últimas. Mas essa é uma história para os próximos capítulos desse especial sobre o campeonato de 1981.

Curiosamente, 10 anos antes, quando ainda corrida de kart, Piquet fora escolhido para limpar o capacete justamente de Reutemann, quando o argentino veio correr no Brasil. Descontente com o serviço, Reutemann disse a Piquet que ele nem para limpar capacetes servia. Após o título, o brasileiro rebateu. “Eu não sirvo para limpar o teu capacete mas talvez tu possa limpar o meu que é de campeão do mundo!”

Calendário

Videoteca

Twitter


Postagens populares

Newsletters