Subscribe to web2feel.com
Subscribe to web2feel.com

F1 - Menos vezes menos é mais

Postado por Thiago Raposo segunda-feira, 30 de maio de 2011

Campinas - Depois de uma dia digerindo o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1, enfim, consegui escrever algumas linhas. Confesso que a minha expectativa não era das melhores. Primeiro pela corrida em si! Mônaco é tradicional, é charmosa, mas é amarrada. Um lugar onde a corrida não aconteceu. Geralmente o que se vê é uma procissão sem fim, com o pole geralmente vencendo a prova, sem disputa. Segundo pelas novas regras da temporada 2001 da categoria. Asa móvel, Kers e pneus que duram pouco, acabaram gerando um cenário injusto para a competição, pois acaba criando desigualdades imensas entre um piloto e outro e desta forma, a ultrapassagem é inevitável.

Mas, para minha surpresa, a corrida foi boa! Na minha opinião, o motivo foi que o principal vilão da temporada, o pneu, passou a ser mocinho. Os compostos da Pirelli, como num passe de mágica, ficaram mais resistentes nas ruas do principado e desta forma deu uma dose extra de normalidade as coisas. Sebastian Vettel, por exemplo: parou apenas uma vez, na volta 15 e foi até o fim. E olha que os pneus levados eram os super-macios e os macios. A asa móvel também, pelas características da pista, acabaram não influindo muito e o Kers, como todos tem o seu, acabou sendo irrelevante.

A prova começou movimentada, com ultrapassagens como a de Michael Schumacher em cima de Nico Rosberg ou as de Lewis Hamilton e Rubens Barrichello em cima do heptacampeão. Continuou quente no meio, como na disputa de Felipe Massa com o Lewis, em que o brasileiro acabou abandonando após um toque. Do meio para o fim, com a perseguição de Jenson Button a Fernando Alonso e Vettel e ao início da disputa entre eles, que fez todos abrirem bem os olhos para a corrida. Teve então a confusão dos lideres chegando numa grande pelotão de retardatários e a confusão aconteceu, com o russo Vitaly Petrov levando a melhor.

Também sou da ala de que a regra da categoria, que permite mudanças no carro durante a vermelha não é das mais justas, mas não condeno tanto, pois faz parte da regra e ela é para todos. A briga acabou depois que a prova recomeçou, mas de forma alguma apagou tudo o que aconteceu na primeira parte. Algumas outras disputas ainda merecem ser citadas, como a de Kamui Kobayashi e Adriam Sutil. Sai do sofá com a boa sensação de uma boa corrida e acho que a matemática se fez presente, quando multiplicamos dois operadores negativos e temos um positivo como resultado.

Calendário

Videoteca

Twitter


Postagens populares

Newsletters